Publicações

Psicoterapia na infância e adolescência: o que é e para que serve? – Psic. Mariana Becker

Psicoterapia na infância e adolescência: o que é e para que serve?

Psicóloga Mariana Becker*

Ao longo do desenvolvimento nas duas primeiras décadas da nossa vida, algumas crianças e adolescentes apresentam mudanças no seu comportamento que causam preocupação aos pais ou cuidadores. Esses comportamentos podem ser muito variados e costumam estar ligados a algum estressor, impedindo seu desenvolvimento saudável. Por estressor, entendemos tudo aquilo que tira a criança ou adolescente do seu funcionamento regular, podendo estar relacionado a algum evento traumático, mudanças na rotina (mudança de casa, escola, cidade), adoecimento, chegada de um novo membro na família, separação dos pais, morte de um ente querido, dificuldades de aprendizagem, bullying, entre outras possibilidades.

Nessas etapas iniciais da vida, em que ainda estamos aprendendo o quão difícil é colocar nossos sentimentos, expressões e frustrações em palavras, isso acaba sendo refletido em comportamentos disfuncionais.

Como saber se a criança precisa de ajuda?

Os motivos para a busca da psicoterapia podem ser muito variados, mas de forma geral, quando se percebe que a criança está tendo alguma dificuldade e não consegue lidar com ela, ou se os pais não conseguem prestar auxílio aos filhos para compreender aquilo que lhes traz sofrimento, é aconselhado buscar por ajuda especializada.

Em algumas situações outros profissionais, tais como psiquiatras, médicos, neurologistas, educadores, pediatras, podem fazer um encaminhamento para avaliação em psicoterapia.

Alguns sinais para buscar ajuda para as crianças e adolescentes:

– choro sem causas aparentes;

– irritabilidade e agressividade excessivas;

– isolamento;

– medo;

– ansiedade de separação das figuras de referência;

– dificuldades escolares;

– separação dos pais;

– comportamentos ou fala sexualizada;

– mudanças importantes na rotina;

– demora para andar ou falar;

– mudanças de comportamento abruptas, dentre outras.

Como funcionam os atendimentos em psicoterapia na infância e adolescência aqui na Casa Elétrica?

Inicialmente é feita uma triagem, com uma ou mais sessões com os pais ou cuidadores, a fim de conhecer a história da criança ou adolescente e sua dinâmica familiar para entender o contexto no qual o/a paciente está inserido/a.  Se, ainda durante a triagem for identificado que é necessário um tratamento combinado com outro profissional ou que as necessidades do/da paciente vão além das possibilidades oferecidas pela Casa Elétrica, será feito o devido encaminhamento para outros profissionais capacitados. Após a triagem, teremos algumas sessões com o/a paciente a fim de conhecê-lo e estabelecer o vínculo terapêutico. Um novo encontro com os responsáveis é marcado para o estabelecimento de um plano de acompanhamento e contrato terapêutico. A partir de então, oficialmente inicia-se a psicoterapia com a criança ou adolescente.

No setting terapêutico, através de um ambiente lúdico, o/a psicólogo/psicóloga ocupa um lugar de facilitador/facilitadora entre o mundo interno e externo de cada um, buscando auxiliar no processo de elaboração das questões de cada paciente. A frequência dos atendimentos, bem como o tempo do acompanhamento variam de acordo com cada caso, com o intuito de oferecer um melhor aproveitamento do processo terapêutico.

“No brincar, a criança absorve elementos de sua realidade externa, sejam eles objetos ou situações vivenciadas, apropria-se deles, usando-os a serviço de sua realidade interna. Desta forma, assimila o ambiente em que vive, usando a brincadeira como forma de representar sua realidade interna e externa no mesmo ato” (Winnicott, em “O brincar e a realidade”).

A participação dos pais e/ ou responsáveis é de extrema importância, pois são eles que estarão presentes no dia-a-dia, oferecendo auxílio para o desenvolvimento da saúde mental do/da paciente e fortalecendo seus vínculos afetivos. Quando estão em idade escolar, a escola é uma aliada importante, visto que é lá que a criança ou adolescente passam boa parte do tempo e onde se relacionam com seus pares.

Buscando promover o processo de retomada do seu estado de desenvolvimento saudável, a psicoterapia infantil, através da brincadeira e do lúdico, tem o papel de auxiliar a criança ou adolescente a expressar seus sentimentos, problemas e desejos, permitindo abrir espaço para o seu desenvolvimento emocional, cognitivo e social.

Quais os objetivos e benefícios da psicoterapia?

A psicoterapia busca auxiliar os/as pacientes no reconhecimento de suas emoções, compreensão dos momentos estressores e traumas, buscando uma ressignificação dos mesmos. O acompanhamento na infância e adolescência busca promover melhoria na qualidade de vida. Desta forma, aprendendo a lidar com as emoções desde cedo, crianças e adolescentes tendem a ter mais autonomia e menos dificuldades em enfrentar situações cotidianas.

É necessário ter paciência com o tempo e processo terapêutico de cada um, permitindo espaço para as descobertas e aprendizagens para que não sejam passageiras e, sim, compreendidas e sentidas.

*Mariana A. Ramos Becker é Psicóloga clínica, formada pela PUC-RS, cursando Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência no CEAPIA (Centro de Estudos e Pesquisa da Infância e Adolescência (CEAPIA). Trabalha com psicoterapia de crianças, adolescentes e apoio a pais em atendimentos individuais e/ou familiares. Especialista em Pedagogia da arte e graduada em Licenciatura em Artes Visuais, ambas pela UFRGS.

Imagens: : Pixabay · Stunning Free Images

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *